Caminho da Paz

Caminho da Paz Bahia

O Caminho da Paz Bahia é uma caminhada de 127 km de extensão, iniciando na Cidade de Amargosa, no Estado da Bahia, com chegada no “Projeto Semente” – uma Pousada Ecológica nas montanhas do Vale do Jiquiriçá, em Ubaíra. É o primeiro do gênero no Nordeste do Brasil, aos moldes de outros Caminhos do mundo inteiro.

Como fazer

O primeiro passo antes de iniciar a peregrinação pelo Caminho da Paz Bahia é adquirir sua Credencial. Será a sua identificação durante todo o percurso.

A Credencial é obtida com o preenchimento da “Ficha de Inscrição do Caminho da Paz Bahia”, encontrada no site da Associação Bahiana de Amigos do Caminho de Santiago de Compostela-ABACS (www.santiagobahia.com.br), junto à Credencial e o pagamento da Taxa de Manutenção, você recebe todas as informações necessárias: nomes de pousadas e contatos em cada localidade, pontos de apoio, quilometragem de cada trecho, etc.

Todo o Caminho está demarcado com Setas Amarelas.

Como começou

Em 2003, Antônio Presidio, Maria de Lourdes e mais 6 peregrinos, abriram o Caminho da Paz Bahia. A humanidade estava recebendo das montanhas do Vale do Jiquiriçá, a mais nova intenção de amor, paz e fraternidade.

Com pincéis e tinta amarela, os peregrinos: José Antônio, Welington Muller, Roberto, Lourdinha, Jussara e Benedito, além de Maria e Presidio, partiram de Amargosa em direção ao primeiro pouso, no Alto da Lagoinha. Ao longo dos 127 km, de extensão do Caminho da Paz, as setas eram colocadas em estacas, postes, árvores, pedras, etc.

Quem faz o Caminho da Paz

A peregrinação é uma constante na vida dos homens, haja visto que pessoas como Moisés, Abraão, Sidarta, Jesus Cristo, Tarso e outros, através da peregrinação consolidaram suas ideias e pensamentos. Em vários trechos da bíblia se lê relatos sobre peregrinações. É também, fazendo uma caminhada que as vezes, entre outras coisas e acontecimentos bem refletidos, se vê, se comprova e convive com a simplicidade, a pureza, a solidariedade, fraternidade que existem e são preservadas na vida do homem do campo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *